terça-feira, 7 de abril de 2009

Meu Aniversário e "O Casamento do meu Melhor Amigo"

A cena no corredor e o diálogo entre Paul Giamatti e Julia Roberts: Não achei a cena no youtube e o filme vai demorar horas pra acabar de baixar: eu vivo com uma internet de 100kbps (sim!). Engraçadas nossas prioridades hoje em dia, né? Enfim, não me lembro das palavras exatas mas eu sei que ela diz algo como: "Me prende. Pode me prender. Eu não vou reagir." Ela fumava num corredor onde era terminantemente proibido fumar. Mas o foco não é o cigarro, entende?... Ela diz, também: "Eu sou uma pessoa ruim". E isso me veio na lembrança feito um tapa na cara.

Foi mais ou menos quando o Saulo me disse que "Sofrer é fácil. Mas só uma mudança real de atitude pode passar por cima disso." e eu me senti caindo pra trás que nem ela quando Michael abre a porta do quarto, nessa mesma sequência.

Acontece que sempre me parece tarde demais pra uma mudança de atitude. Mas aí eu lembro que a Julianne ARRUINOU um casamento, roubou a van de um buffet, mentiu pra uma família inteira, foi escrotíssima com a Cameron Diaz e no fim das contas não foi tarde demais pra ficar tudo bem e a paramount presentear à todos nós com mais um final feliz-clichê (apesar de quê, metade do pessoal torcia pra Julia Roberts, mas ok);

Pena que a vida não é um filme.

Outro dia tive medo de dizer em voz alta, mas ousei pensar que talvez meu talento pro humor seja simplesmente proporcional à minha felicidade. Eu não disse porque guardando no peito é mais fácil mentir pra mim mesma. E porque meu argumentos me deixam com a sensação de que eu vou explodir e que eu fiz tudo errado a vida inteira e que... AH! Não quero.

Pode ser crise existencial. "A" crise existencial da simbologia desse - e específicamente ESSE - aniversário. Mas não, acho que não. Não sei. É tudo confuso demais, sabe?

E vem desde aqueles cinco minutos pelos quais nunca vou me perdoar. E passam pelo fato de eu ter alergia a gatos, e de eu sumir perto e longe. E de nós três apertados na caminhonete no meio de uma chuva torrencial e eu pensando "é isso que eu quero pra minha vida" pra chegar aqui e fugir de tudo de novo.

Será que eu não tenho conserto? Sim, Saulo, sofrer é fácil. Sim, Drummond, a dor da gente não sai no jornal. Mas e aí? Começa por onde? Pela visita carregando um pedaço de torta alemã? Como se isso fosse lavar pra longe todos os meus arrependimentos, ou sequer adiantar alguma coisa quanto à esse último.

Acontece que todo gesto parece pouco e toda palavra parece falsa e tudo o que eu posso fazer simplesmente não é suficiente depois de todo o vento que eu plantei. Porra, "desabafos de um covarde" que podia ser o título desse post né?

Parabéns pra mim, anyway. BLACK JACK. Já era hora.Bolo, guaraná e muitos doces. Certo?

7 comentários:

Iracema disse...

E minha visita e meu colo. Sempre.
Parabéns. Fazer 21 nem é tão legal assim ;~

Márcio Viana disse...

Parabéns! Pelo aniversário e pelo texto, muito bem escrito, como sempre.

_zing disse...

E põe confusa nisto!
Bem, apenas siga o coração. Ele é o melhor guia para as suas realizações, por isto, trabalhe em algo que tenha prazer (o melhor caminho para o sucesso, apesar deste e todo o resto ser relativo, mas...) e arrisque, sempre... o medo não tira a gente do lugar, apenas nos mantém no lugar, sempre na mesma merda de posição confortável e, talvez, sensata naquele momento.
Faço de Bukowski as minhas palavras...

"Se vai tentar
siga em frente.

Senão, nem começe!
Isso pode significar perder namoradas
esposas, família, trabalho...e talvez a cabeça."
(...)

--
P.S.: Parabéns!

natty disse...

achei lindo oq vc escreveu.
e achei q vc ter consciencia e vontade de querer mudar já eh um começo.
é só REALMENTE tentar.
afinal, mtas pessoas q gostam de vc esperam isso.

D. Navarro disse...

Back to black. Parabéns, 21 é o início de uma ladeira. lol

D. Navarro disse...

A propósito, estoud e volta com meu brooooaarrg. navarro85.blogspot bla bla bla

Prix disse...

Depois de uma certa idade, aniversários começam a te fazer refletir mais... a preocupação agora não é com a roupa que vou usar, o presente que vou ganhar, o que vou fazer , com quem eu vou... as questões passam a ser mais profundas e porque não dizer mais confusas. Parece que deixamos para avaliar nossa vida inteira, nossos atos e escolhas nesse dia. Acho que meu primeiro aniversário assim foi aos 18.. depois de uns dias pensei que era bobeira da idade mas chegou os 19, 20, 21 e no último, 22 anos, foi a mesma coisa. Nunca estou satisfeita com o que tenho e sinceramente não sei avaliar se isso é bom ou ruim... Ter uma crise existencial as vezes é válido. Primeiro passo para uma possível mudança. ;]
E eu adoro esse filme! E faço parte da metade que torcia pela Julia Roberts ^^
Bom... parabéns um tanto quanto atrasado e que Deus ilumine seus caminhos!

Ah! Obrigada viu?! Não mudamos nada do discurso, só acrescentou a parte da família e amigos.

Até!
=]